terça-feira, 7 de setembro de 2010

ATLETAS PARAOLÍMPICOS POTIGUARES


Essa belíssima página da história do Estado do Rio Grande do Norte teve início em 1981, quando o professor de Educação Física JOSé SÉLIO VILAR DE QUEIROZ, conhecido popularmente por “ZECA”, inaugurou a Academia TUBURAÇÃO, PARQUE AQUÁTICO, em NATAL, DESTINADO À REABILITAÇÃO DE PESSOAS PORTADORAS DE DEFICIÊNCIAS. Em 1988, ante a disposição de alguns freqüentadores de participar de competições voltadas para esse segmento, Zeca começou a preparar os futuros atletas para-olímpicos potiguares. Já em 1989,)houve a primeira competição em Maceió-AL, quando o Rio Grande do Norte enviou uma delegação coma penas dois atletas: GLEDSON SOARES, natural de Natal, nascido em 1977 e ADRIANO GOMES, natura de Nova Cruz-RN, nascido em 21 de junho de 1973sc. Apesar do reduzido número, a equipe potiguar mereceu elogios, pois foram conquistadas cinco medalhas, sendo uma de ouro, duas de prata e duas de bronze. Em 1990, o Rio Grande do Norte começa a se destacar no cenário nacional com a convocação do atleta Gledson Soares para compor a Seleção Brasileira que disputou o Pan-americano de Caracas, na Venezuela, tendo arrebatado duas medalhas de prata. Gledosn foi o atleta mais novo, com apenas 13 anos.
A partir de então, o professor Zeca, em reconhecimento, foi convocado, em 1992, para integrar a comissão técnica da Seleção Brasileira, permanecendo no cargo até 2001. Nesse período participou de três paraolímpicas: BARCELONA, em 1992; ATLATA, 1996 e SIDNEY, em 2002; dois panamericanos, Caracas, 1990 e Cidade do México, em 1999, além de dois Mundiais. Na Ilha de Malta e na Nova Zelândia

Nenhum comentário:

Postar um comentário